Home Nutrição Exercícios Saúde Quem Somos A que viemos Contato

24 de novembro de 2014

Nutrição

Alimentos diet e light funcionam?

Com o avanço da obesidade e do mercado “fitness” a indústria alimentícia tratou logo de criar inúmeros produtos “diet” e “light” para ajudar o consumidor a alcançar seus objetivos de emagrecimento. Mas será que eles ajudam mesmo?



Antes de discutir o efeito deles, vamos entender suas diferenças:


Light – significa que aquele produto possui 25% menos calorias ou dos seguintes nutrientes: açúcares, gordura saturada, gorduras totais, colesterol e sódio, quando comparado com o produto tradicional ou similar.


Diet – significa que ele não possui um ou mais dos seguintes nutrientes: carboidrato, proteína, gordura ou sódio. Por isso, ao contrário dos que muitos pensam, nem todo produto diet leva ao emagrecimento.


Uma questão importante é que em muitos produtos “diet” os fabricantes acabam aumentando a quantidade de algum outro nutriente para garantir um sabor, durabilidade ou uma textura melhor. Por isso, não ache que todo produto diet também é menos calórico, ou até mesmo mais saudável, pois muitas vezes isso não acontece!


Um dos produtos mais utilizados na tentativa de reduzir as calorias consumidas são os adoçantes artificiais. Eles podem ser consumidos separados ou já adicionados em diversos produtos disponíveis no mercado, como sucos, iogurtes, barras de cereais, granola, achocolatados, doces… A premissa desses produtos é que a redução no consumo de calorias favoreceria um balanço energético negativo e, consequentemente, a perda de peso e o emagrecimento. Alguns estudos bem controlados demonstram um efeito benéfico desses produtos no emagrecimento. Porém, nós não vivemos em um ambiente bem controlado, não é mesmo?


Ao contrário desses estudos, nos quais as pessoas são obrigadas a seguir determinada dieta, nós sofremos diversas influências do ambiente que irão interferir diretamente no nosso consumo alimentar. Um dos aspectos mais discutidos hoje sobre o consumo desses produtos se refere ao aspecto psicológico. Estudos demonstram que quando as pessoas comem algo que julgam saudável (consciente ou inconscientemente) elas tendem a comer mais. Se o objetivo da pessoa for o emagrecimento, isso acaba sendo bem improdutivo.


Um desses estudos verificou o efeito de produtos do tipo light no consumo alimentar. Para isso os participantes eram convidados para uma festa informal e, ao chegarem no local, eles tinham que optar entre um pote de chocolates em que havia a inscrição de chocolate normal, ou um que continha a descrição de um chocolate low-fat, baixa quantidade de gordura. No entanto, apesar dos participantes não saberem, todos os chocolates eram iguais. Ao final de algumas horas, os pesquisadores anotaram a quantidade de chocolate consumida e calcularam o total de calorias. Após isso perguntaram às pessoas quanto elas achavam que tinham consumido.


De um modo geral, todo mundo achava que havia consumido bem menos  do que a realidade. as pessoas que pegavam o chocolate “low-fat” consumiram em média 28% a mais do que as pessoas que consumiram o chocolate normal, ou seja, por acharem que o chocolate era light elas de fato se permitiram comer mais.


Além do aspecto psicológico, outro fator estudado é o efeito fisiológico do consumo desses alimentos. Umas pesquisa verificou que esse tipo de alimento possui uma menor capacidade de estimular as áreas de prazer e recompensa no cérebro. Sendo assim, eles ocasionam uma menor satisfação que pode levar a pessoa a comer uma maior quantidade, na busca dessa sensação (o que explica grande parte do estudo anterior).


Uma das justificativas pelas quais os adoçantes dietéticos seriam inofensivos seria por que eles não são absorvidos pelo nosso corpo. No entanto, apesar disso ser verdade, interessante estudo publicado na revista Nature demonstrou que esses adoçantes, ao chegarem no nosso intestino, ocasiona uma alteração da nossa microbiota intestinal (bactérias presentes no intestino) e isso pode levar a uma série de alterações, até mesmo um prejuízo na tolerância à glicose. Agora pare para pensar, não é justamente as pessoas que possuem esse prejuízo as que mais consomem esse tipo de produto?


Além disso, outro estudo sobre o assunto concluiu que quando pessoas habituadas a utilizar adoçantes dietéticos voltaram a utilizar os adoçantes naturais (mel, açúcar..) de modo controlado, obtiveram maior perda de peso.


Como um professor uma vez me disse, esse mercado é o melhor negócio do mundo: cria um produto que promete milagres, as pessoas compram aquilo, não obtém resultado algum e o produtor ainda diz que a culpa é da pessoa e nunca do produto. Bom, cada vez mais acredito que ele está certo, pois esse é um mercado bilionário que só cresce a cada ano e se esses produtos de fato funcionassem, deveríamos estar observando uma diminuição dos casos de sobrepeso e obesidade, mas não é isso que está acontecendo. Na verdade, a cada ano os índices só aumentam. 

Vale a reflexão…


Desire Coelho - Blog Ciência Informa


www.cienciainforma.com.br



Para saber mais: 


Miller PE, Perez V. Low-calorie sweeteners and body weight and composition: a meta-analysis of randomized controlled trials and prospective cohort studies. Am J Clin Nutr. 2014 Jun 18


Veronique Provencher *, Janet Polivy, C. Peter Herman. Perceived healthiness of food. If it’s healthy, you can eat more! Appetite 52 (2009) 340–344. 








Comentários

Veja também


- Alimentação Infantil
- Suplementos Nutricionais: aprecie com moderação!
- Reidratar com cerveja?
- Existe algo especial nas dietas low-carb?
- Qual o melhor tipo de whey: concentrado, isolado ou hidrolisado?
- Frutose - devemos nos preocupar?
- A gordura saturada aumenta o risco cardiovascular?
- Como preparar seu intestino para os suplementos esportivos.
- Rapadura durante os treinos longos.
- Proteínas, quanto mais melhor?
- Vitamina C para gripes e resfriados? Entenda como (e se) funciona
- O atleta que consome muito café também se beneficia da suplementação de cafeína no esporte?
- Como o estresse influencia a dieta?
- Jejum Intermitente - parte 2!
- Emagrecimento. Uma caloria é só uma caloria e pronto. Será mesmo?
- Jejum Intermitente - parte 1!
- Os diferentes tipos de açúcar presente nos alimentos que muita gente não conhece.
- Alimentação infantil
- Café com óleo de côco emagrece?
- “O bom da dieta é que eu não tenho que pensar.”
- Afinal, se não é para fazer dieta, posso comer à vontade?
- Por que ler o rótulo de alimentos industrializados é tão importante? E o que devo ler?
- Atletas que tomam muito café não se beneficiam da suplementação de cafeína?
- Comedor compulivo ou impulsivo?
- O que são alimentos frescos, processados e ultraprocessados?
- Proteínas antes de dormir e hipertrofia.
- Proteínas, quanto mais melhor…será mesmo?
- Carboidratos de baixo índice glicêmico (waxy-maize e isomaltulose) são superiores aos carboidratos convencionais?
- Quanto os atletas comem?
- Amino Spiking: o bom (#SQN) e velho gato por lebre na indústria de suplementos
- Refrigerante para provas/treinos de longa duração?
- Suplementar cafeína atrapalha os efeitos da creatina?
- Índice Glicêmico - um conceito supervalorizado?
- Senhores pais, por favor, prestem atenção ao que seus filhos estão comendo!
- É preciso comer de 3 em 3 horas para ganhar massa muscular?
- Comer de 3 em 3 horas emagrece?
- Proteínas e saciedade.
- Comer de 3 em 3 horas aumenta o gasto energético?
- Alimentos com baixa caloria funcionam?
- Suplementação com Bicarbonato de Sódio
- Café da manhã, a refeição mais importante do dia ou a mais supervalorizada?
- Afinal, por que há tantas controvérsias no mundo da nutrição?
- Suplementos alimentares - como saber qual funciona?
- Leucina auxilia na hipertrofia muscular?
- O que comer no pós-treino: suplementos ou fast food??
- Carnitina aumenta a queima de gordura, mas....
- Por que paramos (ou não) de comer?
- Filme = Pipoca? Cuidado!
- Qual é o melhor óleo para cozinhar?
- Precisamos suplementar sódio durante o exercício prolongado?
- Nutrição Esportiva: de olho na resposta individual de cada atleta!
- Quem realmente precisa de isotônicos?
- Beta-alanina: o que é, como funciona e quais seus efeitos?
- Dieta da proteína, Atkins, Dukan, cetogênica...
- Barrinhas de proteínas?
- Tribulus Terrestris e as falsas propagandas de aumento de testosterona, força e massa muscular
- O papel dos carboidratos na reposição de glicogênio muscular
- Suco de beterraba e suplementação de nitrato: seguro e efetivo?
- “Correr, correr, é o melhor para poder emagrecer...” será mesmo?
- Afinal, há pontos positivos na dieta paleolítica???
- Paleo diet: a mais nova-antiga dieta da moda
- Atletas adolescentes precisam de suplementos esportivos?
- Carboidratos podem melhorar o desempenho físico, mesmo se você não os ingerir.
- Suplementação de carboidratos durante o exercício.
- Existe alimento proibido?
- Frango com batata doce?
- Qual a melhor whey protein: concentrada, isolada ou hidrolisada?
- Carboidrato e performance: "train low compete high"
- Consumo de carboidratos no pré-treino, quem precisa se preocupar?
- Carboidratos e ganho de massa muscular
- Quem precisa suplementar antioxidantes?
- Creatina, qual a melhor forma?
- Creatina antes ou depois do treino? Um novo estudo reabre a questão...
- Intervenção da Nutrição no "Medida Certa" do Fantástico
- Suplementação de proteínas e a "Janela de Oportunidade"
- Se eu não devo fazer dieta, o que eu faço?
- O que são e como funcionam (se é que funcionam...) os suplementos “pré-treino”?
- Suplementação de carboidratos: alimento ou suplemento?
- Com culote ... "sans culotte"
- Radicais livres: combatê-los ou não combatê-los?
- Suco de beterraba para “nitrar” seu treino!
- Frutose: devemos nos preocupar?
- Guia Alimentar para a População Brasileira: o guia que acertou em cheio e conquistou o mundo!
- Suplementação de proteínas e emagrecimento
- Comida vicia?
- Suplementação de arginina e citrulina melhoram o desempenho?
- Para ganhar mais massa magra, devo comer de 3 em 3 horas?
- Bifinho para ficar fortinho!
- Suplementação de proteínas e exercícios de endurance: além da hipertrofia muscular
- Comer de 3 em 3 horas ... porque mesmo?
- Suplementação de creatina: tem que fazer “carregamento”?
- Suplementação de glutamina e intestino: para quem?
- BCAAs para corredores e maratonistas: mais um caso de desperdício de dinheiro?
- Perigo: suplemento contaminado!
- BCAAs e Treinamento de Força
- Se um alimento pode dar alergia, o melhor é evitá-lo? Não.
- Vale a pena suplementar glutamina?
- Ciência Informa responde: Comer salada antes da refeição faz com que eu coma menos?
- Frutinhas milagrosas: qual o real benefício do goji berry?
- Nos alimentamos de nutrientes ou comida?
- Suplementos de Vitaminas e Minerais engordam?
- Chá verde, chá branco e chá oolong realmente emagrecem?
- Treinamento concorrente: mais uma aplicação da suplementação de creatina
- Termogênicos (Parte 3): o que esperar da cafeína?
- Termogênicos parte 2: A falha lógica das substâncias termogênicas
- Dietas Restritivas: Detox….desintoxicar o que?
- Ciência Informa Responde: maltodextrina
- Termogênicos parte I: carnitina como fat burner
- Suplementação de HMB: muito bom para ser verdade?
- Alimentos diet e light funcionam?
- Em excesso, até água faz mal!
- O que os suplementos realmente podem fazer por você?
- Proteína para que te quero - Parte 5: Suplementação de proteínas para idosos
- Carboidrato e Peso Corporal
- Quais os riscos da suplementação com beta-alanina?
- Proteína para que te quero - Parte 4: A JANELA DE OPORTUNIDADE e a suplementação de proteínas
- A desidratação realmente piora o desempenho esportivo?
- Proteína para que te quero - Parte 3: A fonte de proteína faz a diferença? Qual a melhor fonte proteica?
- Beta-alanina para quem?
- Proteína para que te quero - Parte 2
- Alimentação é uma simples questão de escolha?
- Proteína para que te quero - Parte 1
- Beta-alanina: o que é e o que faz esse novo suplemento?
- Quer emagrecer? Fuja das dietas...
- Suplementação de creatina: antes ou após o treino?
- Sem Glúten ou Com Glúten?
- Carboidrato à noite engorda?
- Até tu, adoçante?



Busca

Receba Atualizações

Envia sua sugestão de temas


Nossos Colaboradores

Prof. Bruno Gualano, PhD
Prof. Associado da Universidade de São Paulo

Profa. Desire Coelho, PhD
Nutricionista Clínica e Esportiva

Profa. Fabiana Benatti, PhD
Pós-Doutora na Universidade de São Paulo (USP)

Prof. Guilherme Artioli, PhD
Prof. Dr. da Universidade de São Paulo

Prof. Hamilton Roschel, PhD
Prof. Dr. da Universidade de São Paulo