Home Nutri√ß√£o Exerc√≠cios Sa√ļde Quem Somos A que viemos Contato

01 de outubro de 2014

Exercícios

Exercício sem dieta emagrece?

Muitas pessoas questionam a capacidade do exercício por si só em promover a perda de peso e de gordura corporal. Será que é possível emagrecer apenas fazendo exercício físico? SIM!


Para provar isso, em 2004, um grupo canadense avaliou, por 14 semanas, mulheres obesas sedent√°rias. Elas foram divididas em 3 grupos: as mulheres do Grupo 1 passaram a comer 500 Kcal a menos por dia; as mulheres do Grupo 2 passaram a correr 5x por semana, gastando 500 Kcal a mais por dia; as mulheres do Grupo 3 tamb√©m passaram a correr 5x por semana, mas passaram a comer 500 Kcal a mais por dia. Dessa forma, os primeiros dois grupos tinham um d√©ficit cal√≥rico de 500 Kcal por dia, enquanto o terceiro grupo estava em equil√≠brio cal√≥rico. Ap√≥s as 14 semanas, o 1¬ļ e o 2¬ļ grupos perderam peso de forma igual, mostrando que a perda de peso depende principalmente do equil√≠brio entre calorias consumidas vs. calorias gastas. Contudo, o 2¬ļ grupo perdeu mais gordura que o 1¬ļ grupo. J√° o 3¬ļ grupo, embora n√£o tenha perdido peso, perdeu gordura corporal de forma similar ao grupo que apenas fez dieta. Logo, h√° pelo menos 10 anos sabemos que o exerc√≠cio f√≠sico por si s√≥ √© sim capaz de levar √† perda de gordura corporal at√© mesmo superior √†quela induzida pela dieta! Al√©m disso, o exerc√≠cio ajuda a preservar a massa muscular de pessoas que perdem peso.

Mas então, por que tantas pessoas começam a fazer exercício físico e acabam não emagrecendo ou até mesmo engordando?

Para esclarecer essa d√ļvida, pesquisadores avaliaram, em tr√™ estudos diferentes, pessoas com sobrepeso e obesas que passaram a fazer exerc√≠cio aer√≥bio (corrida, bike, etc) por 12 semanas, 5x/sem, sem nenhuma restri√ß√£o ou orienta√ß√£o alimentar. Ou seja, as pessoas deveriam se alimentar como desejassem. Em todos os estudos, os autores observaram algo muito interessante: enquanto alguns sujeitos perderam 14 Kg de peso e 8 Kg de gordura, outros ganharam 4 Kg de peso e 2,5 Kg de gordura! Isso quer dizer que houve uma enorme variabilidade na perda de peso e de gordura entre os indiv√≠duos. Diante disso, os autores classificaram as participantes em dois grupos: o de indiv√≠duos ¬ďn√£o compensadores¬Ē, que s√£o aqueles que naturalmente n√£o rep√Ķem as calorias gastas durante o exerc√≠cio e, portanto, perdem peso e gordura; j√° o segundo grupo era aquele composto pelos ¬ďcompensadores¬Ē, que s√£o aqueles que naturalmente aumentam o consumo alimentar e cal√≥rico quando passam a se exercitar.

Mas porque ser√° que isso acontece?

Parece que os ¬ďcompensadores¬Ē experimentam um aumento mais expressivo da ¬ďvontade de comer¬Ē ap√≥s o exerc√≠cio, particularmente alimentos ricos em gordura e a√ß√ļcar. Em fun√ß√£o disso, eles comem mais, repondo e at√© mesmo superando as calorias gastas, o que pode levar ao ganho de peso e de gordura. Logo, cuidado com o famoso ¬ďJ√° que fiz exerc√≠cio hoje, posso comer o que quiser¬Ē. Devemos ter em mente que comer 500 Kcal (equivalente a um peda√ßo m√©dio de lasanha) √© muito mais f√°cil do que gastar 500 kcal (equivalente a percorrer 8 Km em m√©dia!). Al√©m disso, os ¬ďcompensadores¬Ē passam a gastar menos energia (em torno de 100 Kcal a menos por dia!), mesmo fazendo as mesmas atividades di√°rias. Essa ¬ďadapta√ß√£o metab√≥lica negativa¬Ē, nome dados pelos pr√≥prios autores da pesquisa, predisp√Ķe ainda mais ao ganho de peso e de gordura. 

Dessa forma, se voc√™ faz parte do grupo de ¬ďcompensadores¬Ē, √© natural que tenha dificuldade em emagrecer apenas com a pr√°tica de exerc√≠cios f√≠sicos. Mas jamais desanime ou desista! Se seu objetivo for de fato emagrecer, um acompanhamento nutricional adequado pode lhe ajudar a atingir t√£o almejado objetivo!  Al√©m disso, n√£o podemos esquecer dos incont√°veis benef√≠cios do exerc√≠cio, que v√£o muito al√©m da simples perda de peso (temas para um posts futuros!). Portanto, exercite-se sempre!  


Fabiana Benatti


Para saber mais:

Ross R, Janssen J, Dawson J, et al. Exercise-induced reduction in obesity and insulin resistance in women: a randomized controlled trial. Obesity Research 2004; 12(5): 789-798.

King N, Hopkins M, Caudwell P, et al. Individual variability following 12 weeks of supervised exercise: identification and characterization of compensation for exercise-induced weight loss. International Journal of Obesity 2008; 32: 177-184.

Finlayson G, Caudwell P, Blundell J, et al. Low fat loss response after medium-term supervised exercise in obese is associated with exercise-induced increase in food reward. Journal of Obesity 2011.

Hopkins M, Gibbons C, Blundell J, et al. The adaptive metabolic response to exercise-induced weight loss influences both energy expenditure and energy intake.  European Journal of Clinical Nutrition 2014; 68(5): 581-586.








Coment√°rios

Veja também


- Lactato, o vilão que se tornou um possível aliado do desempenho?
- Bioimped√Ęncia √© um bom m√©todo para avaliar composic√£o corporal?
- CrossFit: os riscos compensam os benefícios?
- Crossfit aumenta o risco de les√£o?
- Tem alguma doença reumática? Então faça exercício físico!
- Esporte n√£o √© ¬ďsa√ļde¬Ē...mas ser√° que √© ¬ďdoen√ßa¬Ē?
- Como o exerc√≠cio f√≠sico previne c√Ęncer de mama?
- Sobre a tara em se reduzir o dano muscular induzido pelo exercício...
- HIIT QUEIMA MAIS GORDURA DO QUE EXERC√ćCIOS AER√ďBIOS... OU N√ÉO!
- Exercícios aeróbios não matam, não engordam, e não causam diabetes
- Dano muscular e hipertrofia: ser√° o fim do "no pain, no gain"?
- Quer dizer que a atividade f√≠sica n√£o funciona para reduzir o peso corporal? Hora de colocar alguns pingos nos ¬ďis¬Ē...
- O mito das dietas low-carb e o papel da insulina no emagrecimento
- A atividade física ideal!
- ¬ďDisseram que eu n√£o posso fazer atividade f√≠sica...¬Ē
- Quando devo aumentar a carga de treinamento?
- Esclarecimentos sobre ¬ďexerc√≠cio aer√≥bio engorda¬Ē e ¬ďexerc√≠cio aer√≥bio n√£o emagrece¬Ē.
- Treinar em jejum: bom, ruim ou depende?
- Por que entramos em fadiga?
- Quanto maior a carga, maior o ganho de massa muscular...certo?! Ou n√£o?
- HIIT - Treino Intervalado de Alta Intensidade, parte 2.
- HIIT - Treino Intervalado de Alta Intensidade
- Lactato: de causador da fadiga a aliado do desempenho.
- Queimar gordura somente após 20 minutos de aeróbio?
- Overtraining: O que, de fato, é isso?
- Percentual ou distribuição de gordura corporal: qual o melhor preditor de risco cardiovascular?
- Resposta hormonal ao exercício de força e aumento de massa muscular: Qual a relação entre eles?
- Cortar peso é prejudicial ao lutador?
- Treinamento de força com oclusão vascular: O que é e para quem serve?
- Quem faz musculação fica baixinho?
- Quando um gêmeo se exercita e o outro … não.
- Testes de DNA para detecção de talentos no esporte: cedo demais para ser verdade?
- 2 mitos sobre o uso ¬ďseguro¬Ē de esteroides anabolizantes
- CrossFit: os riscos compensam os benefícios?
- Treinamento intervalado para crianças: uma alternativa possível
- Ci√™ncia InForma responde: √Č importante variar os exerc√≠cios no treino de muscula√ß√£o?
- ¬ďEu at√© tento, mas n√£o ¬ďrespondo¬Ē ao exerc√≠cio...¬Ē
- Exercício em jejum: Fazer ou não fazer, eis a questão (Parte 3)
- Exercício em jejum: Fazer ou não fazer, eis a questão (Parte 2)
- O fisiculturismo como um estilo de vida saud√°vel?
- Exercício em jejum: Fazer ou não fazer, eis a questão (Parte 1)
- Quando chega a "conta" do sedentarismo?
- Exercício sem dieta emagrece?
- Treinamento de força para todos
- Lactato: amigo ou vil√£o do desempenho?
- Sobre o milagre das pílulas do exercício



Busca

Receba Atualiza√ß√Ķes

Envia sua sugest√£o de temas


Nossos Colaboradores

Prof. Bruno Gualano, PhD
Prof. Associado da Universidade de S√£o Paulo

Profa. Desire Coelho, PhD
Nutricionista Clínica e Esportiva

Profa. Fabiana Benatti, PhD
Pós-Doutora na Universidade de São Paulo (USP)

Prof. Guilherme Artioli, PhD
Prof. Dr. da Universidade de S√£o Paulo

Prof. Hamilton Roschel, PhD
Prof. Dr. da Universidade de S√£o Paulo