Home Nutrição Exercícios Saúde Quem Somos A que viemos Contato

09 de novembro de 2015

Vida e Saúde

Mudando paradigmas no “tratamento” da obesidade.

Pessoas mais fisicamente ativas, mais felizes com seus corpos, com mais autonomia e melhor relacionamento com a alimentação. Tudo isso independentemente de alterações importantes no peso corporal. Gostou? Bem vindo à filosofia “Health at every size”, do inglês, “Saúde em todos os tamanhos”.


O inevitável fracasso das dietas restritivas por períodos prolongados é hoje muito bem documentado na literatura, estando associado ao sentimento de culpa, insatisfação com o corpo, compulsões e transtornos alimentares, os quais provavelmente explicam porque 95% das pessoas recuperam o peso perdido (veja posts anteriores sobre o assunto aqui e aqui). Durante muitos anos, nosso grupo pôde testemunhar o fracasso do "controle alimentar", termo genérico que remete à ilusão de que dietas restritivas possam ser uma solução duradoura para a obesidade. 



Diante desse quadro, a filosofia Health at every size (HAES) emerge como uma abordagem alternativa, que traz a tão esperada luz no fim do túnel para profissionais da saúde que lidam com pacientes obesos diariamente. Ela prega o encorajamento de comportamentos saudáveis para pessoas de todos os “tamanhos” corporais, sendo a perda de peso uma consequência ou não desse processo, e é pautada por cinco princípios: 



1) reconhecer que a saúde e bem-estar são multidimensionais e incluem aspectos emocionais, físicos, e intelectuais; 



2) encorajar a construção de uma imagem corporal positiva; 



3) aceitar e respeitar a diversidade de tamanhos e formatos corporais; 



4) promover uma alimentação que equilibre necessidades nutricionais individuais, além de aspectos como fome, saciedade, apetite e prazer e; 



5) promover atividades físicas prazerosas e sustentáveis.



Há cerca de 3 anos, nosso grupo, liderado pela amiga, nutricionista e professora da Faculdade de Saúde Pública da USP Fernanda Scagliusi, decidiu não somente colocar em prática, como também testar cientificamente a abordagem HAES por meio do nosso curso comunitário “Saúde e Bem Estar na Obesidade”. Neste programa, baseado na folosofia HAES, as voluntárias, durante um ano, participam de 3 sessões por semana de atividade física (supervisionada por uma equipe de professores e alunos de educação física e esporte), consultas nutricionais quinzenais (por meio da técnica chamada aconselhamento nutricional, que auxilia o indivíduo a resolver dificuldades alimentares e estimular a responsabilidade para o autocuidado, sem prescrição de dietas), além de sessões filosóficas, cujos objetivos são permitir com que as participantes construam suas próprias reflexões sobre escolhas, decisões, controle, peso e imagem corporais. Os primeiros resultados, ainda preliminares, deste programa foram super encorajadores e publicados em duas revistas científicas (referências no final do post). Vou (tentar) resumi-los aqui, exemplificando com algumas frases ditas pelas voluntárias em grupo focais.



Em termos de composição corporal, as voluntárias tiveram melhoras modestas: em média, perderam 3 Kg de peso corporal (↓3,5%), 5 Kg de gordura (↓13%) e 5,5 cm de circunferência da cintura (↓4%), e ganharam 2 Kg de massa magra (↑3,5%). Grande parte das pessoas ficaria satisfeita apenas com esses resultados. Mas os benefícios foram muito além disso. Muito mesmo. 



As voluntárias reportaram maior conexão com as sensações de fome e saciedade e escolha consciente de alimentos que levaram à melhora qualitativa da alimentação (mais almentos in natura e integrais e menos alimentos processados, por exemplo). 



“Eu reduzi bastante a quantidade de comida. Eu comia muitas barras de cereal e escolhia, vamos supor, frango, peixe e linguiça [...] e terminava com um prato enorme na minha frente. Não mais. [...]. Antes da intervenção, eu não sentia fome porque eu sempre comia muito, logo, não sentia fome nunca.", relatou uma das participantes. 



Disse outra voluntária: “Hoje eu sei que posso comer uma certa quantidade de comida e cabe a mim saber quando parar.”



As voluntárias ainda se sentiram mais impelidas a incorporar a atividade física na sua rotina, além de se sentirem mais aptas a incorporar outros tipos de atividade nas suas vidas por se sentirem mais fisicamente capazes: 



“Agora eu sempre venho para cá andando da estação de trem [...]. Eu não estava acostumada.”



 “Eu quero sair mais, aproveitar mais o que a cidade tem a oferecer.” 



Por fim, as voluntárias reportaram mudanças importantes na forma como encaram o “tratamento” da obesidade:  



Disse uma delas: “Venho mudando meus hábitos e percebi que é uma questão de saúde, não apenas de perda de peso. Agora minhas calças estão servindo, eu me sinto melhor caminhando e eu posso fazer melhor. Eu não me preocupo mais em perder peso,  eu tirei isso da minha cabeça. Sinto confiança de que isso vai funcionar e estou animada.”



“A felicidade não está na perda de peso, é uma questão de se sentir bem. Então se meu ‘sentir bem’ hoje é poder ir à faculdade, fazer minhas coisas, isso pode fazer parte da minha felicidade.”, relatou outra participante, num dos depoimentos mais marcantes.



Logo, parece sim ser possível manter-se saudável e ter boa qualidade de vida apesar do excesso de peso. Saúde e qualidade de vida  não se resumem à estética ou apena aos aspectos físicos, mas também aos aspectos psicossociais. Em tempos de terrorismo nutricional,  ditadura da beleza e, ao mesmo tempo, aumento progressivo da obesidade, a filosofia HAES vem como um sopro de esperança para mudar o tão fracassado “tratamento” convencional da obesidade, pautado pela falsa crença de que o papel central do profissional de saúde é impor um "controle" sobre o comportamento do indivíduo, ao invés de fornecer elementos para que este possa protagonizar suas próprias escolhas e estilos de vida. Essa filosofia mostra ainda a enorme importância de um grupo transdisciplinar para lidar com uma condição complexa que jamais deve ser simplificada ao peso corporal. 



Em alternativa às "mesmices" e fórmulas mágicas existentes por aí, a busca por intervenções com princípios teóricos sólidos e embasadas pela ciência é o caminho mais viável, embora não mais fácil, no cuidado da obesidade. Nossos estudos apenas se iniciaram e, em breve, teremos novas informações, que serão compartilhadas com vocês.



Fabiana Benatti - Blog Ciência inForma



www.cienciainforma.com.br



Para saber mais:



Ulian MD, Benatti FB, de Campos-Ferraz PL, Roble OJ, Unsain RF, de M Sato P, Brito BC, Murakawa KA, Modesto BT, Aburad L, Bertuzzi R, Lancha Jr AH, Gualano B, Scagliusi FB. The effects of a ‘Health at Every Size®’-based approach in obese women: a pilot-trial of the ‘Health and Wellness in Obesity’ study. Frontiers in Nutrition. 2015. In press (estará disponível em breve).   



Ulian MD, Gualano B, Benatti FB, de Campos-Ferraz PL, Roble OJ, Modesto BT, Brito BC, Murakawa KA, Torre MD, Tritto AC, Unsain RF, de M Sato P, Scagliusi FB. "Now I Can Do Better": A Study of Obese Women's Experiences Following a Nonprescriptive Nutritional Intervention. Clin Med Insights Womens Health. 2015 Sep 13;8:13-24.







Comentários

Veja também


- Não, géis "redutores de gordura" não funcionam!!
- Sim à Educação Física Inclusiva!
- Os (muitos) problemas do IMC.
- Cirurgia Bariátrica: efeitos na massa muscular e óssea
- É possível emagrecer fazendo apenas exercício?
- “Se eu não tomar meu antibiótico até o fim, vou criar bactérias resistentes?”
- Constipação: muito além da fibra e água!
- Como funciona o efeito placebo? Parte 1
- Obesidade Juvenil - quantas horas por dia seu filho fica sentado?
- É difícil emagrecer, mas tão fácil recuperar! Entenda o porquê.
- Por que é tão fácil engordar? - Parte 1
- Tontura e desmaio após o exercício? Não é hipoglicemia!
- Dicar para não exagerar (muito) nas festas de fim de ano
- Homeopatia e efeito placebo
- Quando crer é poder: novas evidências do efeito placebo na Nutrição Esportiva!
- Emagrecimento com exercício? Esqueça a balança!
- Como melhorar o resultado do seu paciente ou aluno?
- Exercício e Nutrição na Obesidade Materna
- O “coach” e a cartomante
- Por que não devemos comentar sobre o peso (ou corpo) das pessoas, mesmo quando...
- Como a atividade física previne o câncer?
- Balcão da cozinha e obesidade – existe alguma relação?
- O que é microbiota?
- Exercício ou dieta? Qual o melhor para emagrecer?
- “Tratamento” medicamentoso para perda de peso.
- Futura mamãe, quer ter mais saúde durante a gravidez? Exercite-se!
- Videogames ativos e saúde infanto-juvenil
- Transtornos Alimentares - o que são e o que fazer?
- Perda rápida de peso nos esportes de combate
- 5 mitos sobre emagrecimento para esquecer de uma vez por todas
- Transtornos alimentares: O que o profissional de Educação Física tem a ver com isso?
- Perda de peso corporal e metabolismo: sobre o estudo do "the biggest loser"
- Por que eu não devo fazer compras no mercado com fome?
- Por que a perda rápida de peso deve ser banida dos esportes de luta?
- Exercício e depressão
- Como emagrecer e ganhar massa muscular ao mesmo tempo?
- Por que envelhecemos? Como podemos combater o envelhecimento?
- Tudo que eu gosto é ilegal, é imoral ou engorda!!!!!!!!!!!!
- Placebo “injetável” melhora o desempenho esportivo.
- Termogênicos para emagrecer?
- Exercício físico (aeróbio): um forte aliado luta contra o câncer.
- Água alcalina faz bem para a saúde?
- Fisicamente Ativo vs Sedentário
- Misturar bebida alcoólica faz mal?
- Hipoglicemia durante o exercício - isso é possível?
- Por que sentimos câimbras?
- Glutamina melhora o sistema imune?
- Água emagrece? Sim, não ou talvez?
- Estou seguro! Estou tomando esteroides com acompanhamento de um especialista!
- Mudando paradigmas no “tratamento” da obesidade.
- 9 motivos para não usar esteroides anabolizantes
- Efeitos adversos dos suplementos nutricionais
- Perda de peso no MMA: estamos esperando uma tragédia?
- Gordura corporal: diga-me onde estás que te direi quem és..
- Não, géis "emagrecedores" não derretem a gordura, tampouco ela "sai no xixi"!
- O que Darwin diria sobre a obesidade.
- Leite: qual a real causa da intolerância?
- Suplementos como proteínas e creatina prejudicam a função renal?
- Creatina pode causar câncer?
- Fez lipoaspiração? Tem que treinar!
- Drenagem linfática emagrece?
- Pós-Graduação em Nutrição Esportiva - INSCRIÇÕES ABERTAS!
- Parada técnica para hidratação no futebol: necessidade fisiológica ou cuidado em excesso?
- A mais nova droga “anti-obesidade” e os mesmos velhos dilemas...
- Fugindo do sedentarismo no ambiente de trabalho
- Comer antes de dormir, crime por assalto à geladeira ou estratégia nutricional consciente?
- Os (muitos) problemas do IMC!
- Perder peso ou emagrecer?
- As hipóteses, os fatos e as “picuinhas metabólicas” na Nutrição Esportiva...
- O exercício e a vitamina D previnem queda em idosos?
- Tempo ativo ou tempo sedentário: o que é mais importante para a saúde?
- “Exercício é remédio” para a osteoartrite!!
- Estudo sugere que o uso de suplementos anabólicos pode causar câncer.
- Sobre a busca do corpo perfeito...
- Então a alimentação (e não o exercício) é a chave para combater a obesidade? Calma, muito cuidado nessa hora!
- Feliz Páscoa!!
- Ingestão de bebidas alcóolicas inibe o emagrecimento?
- Exercício em jejum “revisitado”– associar treinos em jejum à dieta hipocalórica emagrece mais?
- Ciência inForma comenta o caso Anderson Silva
- Exercício na obesidade: pensando “fora da caixa” (Parte 2)
- Projeto: "Saúde e Bem-Estar na Obesidade"
- Suplementos esportivos fazem mal à saúde?
- Lançamento do Livro: "A Dieta Ideal"
- Procedimentos estéticos como drenagem linfática, criolipólise e carboxiterapia emagrecem?
- Exercício na obesidade: pensando “fora da caixa” (Parte 1)
- Boas Festas e Férias!!!
- O placebo na nutrição esportiva
- Ciência Informa Responde: Para onde vai a gordura?
- Lipoaspiração e seus efeitos adversos...
- Ciência Informa Responde: perda de peso em Spas
- Obesidade metabolicamente saudável – isso existe? – Parte 2
- Obesidade metabolicamente saudável – isso existe?
- Curso USP: Suplementação Esportiva
- Quer emagrecer? Desligue a TV!
- Perder Peso ou Emagrecer?
- Sejam Bem Vindos!!!



Busca

Receba Atualizações

Envia sua sugestão de temas


Nossos Colaboradores

Prof. Bruno Gualano, PhD
Prof. Associado da Universidade de São Paulo

Profa. Desire Coelho, PhD
Nutricionista Clínica e Esportiva

Profa. Fabiana Benatti, PhD
Pós-Doutora na Universidade de São Paulo (USP)

Prof. Guilherme Artioli, PhD
Prof. Dr. da Universidade de São Paulo

Prof. Hamilton Roschel, PhD
Prof. Dr. da Universidade de São Paulo