Home Nutrição Exercícios Saúde Quem Somos A que viemos Contato

22 de fevereiro de 2016

Vida e Saúde

Exercício físico (aeróbio): um forte aliado luta contra o câncer.

Você já deve ter ouvido falar que o exercício físico pode prevenir o desenvolvimento de diferentes tipos de câncer. Mas um artigo publicado recentemente na renomada revista científica Cell Metabolism traz evidências (impressionantes) de que o exercício aeróbio pode não apenas prevenir, mas também combater o câncer. Portanto, além da prevenção, o exercício pode ser um aliado ao tratamento. Nesse estudo, ratos foram inoculados com diferentes tipos de células câncerígenas e aqueles que se exercitavam apresentaram incidência e crescimento de tumores ate 60% menores quando comparados aos que não se exercitavam. Claro que os resultados são ainda preliminares e ainda não podem ser extrapolados a humanos, mas já impressionam e animam.


Diversos estudos têm comprovado os efeitos benéficos do exercício físico na qualidade de vida, fadiga e capacidade físico em pacientes com câncer. Além disso, estudos epidemiológicos mostram que pessoas fisicamente ativas tem menor risco de desenvolver alguns tipos de câncer e que pacientes com câncer em remissão (ou seja, curados) têm maior sobrevida quando comparados aqueles que não se exercitam. Estes dados demonstram que o exercício físico tem algum efeito protetor contra o desenvolvimento do câncer.



Mas o recente artigo publicado na renomada revista Cell Metabolism por pesquisadores dinamarqueses apresenta um novo potencial do exercício (aeróbio) como aliado no tratamento do câncer. O estudo foi feito da seguinte forma: 4 semanas antes ou após a inoculação de células cancerígenas, metade dos ratos tiveram acesso a roda de corrida voluntária (parecida com aquelas que vemos comumente em gaiolas de hamsters) e percorreram, em média, 4 a 7 Km por dia durante 4 semanas. Os ratos sem acesso a roda permaneceram sedentários durante esse período. Foram testados diferentes modelos de tumores, representativos de melanoma maligno (câncer de pele), câncer de fígado e de pulmão. Independentemente do exercício ter sido feito antes ou depois da inoculação de células cancerígenas, ele foi capaz de reduzir a incidência e o crescimento dos tumores (ver figura e gráfico abaixo). 





Legenda: O gráfico mostra o volume do tumor em ratos exercitados (à direita) e sedentários (à esquerda). A figura mostra o pulmão de ratos sedentários (à esquerda) com mais tumores (área preta) e exercitados (à direita) com muito menos tumores. Fonte: Cell Metabolism DOI: (10.1016/j.cmet.2016.01.011.  



Os autores tentaram ainda entender por que o exercício físico era capaz de exercer esses efeitos. Primeiramente, eles observaram que os tumores de ratos exercitados apresentavam maior quantidade de células do sistema imune - aquelas responsáveis por reconhecer e destruir vírus, bactérias e células tumorais. Isso sugere que o exercício, de alguma forma, ativou o sistema imune e fez com que estas células fossem mais capazes de reconhecer e exterminar as células tumorais. É como se o exercício físico fosse capaz de aumentar a “vigilância” e a eficiência das células do próprio sistema imune no combate às células tumorais.



Mas quanto exercício um ser humano deveria fazer para ter estes mesmos efeitos? Para essa pergunta, ainda não há uma boa resposta. Mas o estudo traz indícios de que o exercício deva ser intenso e longo o suficiente de modo a induzir aumentos pronunciados de adrenalina e interleucina-6 (IL-6, uma espécie de hormônio que regula a atividade do sistema imune). Essas substâncias são comumente secretadas durante o exercício de modo proporcional a sua intensidade e duração. Em outras palavras, quanto mais intenso e prolongado o exercício, maior a secreção de adrenalina e IL-6. Mas por quê? 



Explico. Com uma série de outros experimentos (que também podem ser vistos no artigo), os autores mostraram que a adrenalina é responsavel pelo recrutamento (aumento) das células do sistema imune na circulação durante o exercício, enquanto a IL-6 redireciona essas células para as células tumorais. É como se a adrenalina fosse responsável por convocar soldados a uma guerra e a IL-6 por comandá-los orientando onde estão os inimigos a serem combatidos. Ou seja, em conjunto, elas promovem o aumento do número e da capacidade das células do sistema imune em reconhecerem e combaterem o tumor (ver figura abaixo). 





Legenda: A figura mostra essa interação (epinephrine = adrenalina; bolinhas azuis representam células do sistema imune). Fonte: Cell Metabolism DOI: (10.1016/j.cmet.2016.01.011.



É sempre bom reforçar que esse estudo foi feito com ratos e que, portanto, não se sabe o quanto esses impressionantes efeitos se traduzem para o ser humano. Também não sabemos se esses efeitos seriam observados na presença de outros tipos de tumores. 



Mesmo assim, os resultados impressionam e, mais uma vez, mostram o potencial terapêutico do exercício físico. E o melhor, sem nenhum efeito colateral ou deletério. E tem gente dizendo por aí que o exercício aeróbio não serve pra nada ...  grande, grande engano! 



Fabiana Benatti - Blog Ciência inForma



www.cienciainforma.com.br



Para saber mais:



Pedersen L, Idorn M, Olofsson GH, Lauenborg B, Nookaew I, Hansen RH, Johannesen HH, Becker JC, Pedersen KS, Dethlefsen C, Nielsen J, Gehl J, Pedersen BK, Straten P, Hojman P. Voluntary Running Suppresses Tumor Growth through Epinephrine- and IL-6-Dependent NK Cell Mobilization and Redistribution. Cell Metab 2016; 23: 1–9.



Brown JC, Winters-Stone K, Lee A, and Schmitz KH. Cancer, physical activity, and exercise. Compr. Physiol. 2012; 2: 2775–2809



Christensen JF, Jones LW, Andersen JL, Daugaard G, Rorth M, Hojman P. Muscle dysfunction in cancer patients. P. Ann. Oncol. 2014; 25: 947–958. 



Mishra SI, Scherer RW, Snyder C, Geigle PM, Berlanstein DR, Topaloglu O. Exercise interventions on health-related quality of life for people with cancer during active treatment. Cochrane Database Syst. Rev. 2012; 8: CD008465.



 







Comentários

Veja também


- Obesidade Juvenil - quantas horas por dia seu filho fica sentado?
- É difícil emagrecer, mas tão fácil recuperar! Entenda o porquê.
- Por que é tão fácil engordar? - Parte 1
- Tontura e desmaio após o exercício? Não é hipoglicemia!
- Dicar para não exagerar (muito) nas festas de fim de ano
- Homeopatia e efeito placebo
- Quando crer é poder: novas evidências do efeito placebo na Nutrição Esportiva!
- Emagrecimento com exercício? Esqueça a balança!
- Como melhorar o resultado do seu paciente ou aluno?
- Exercício e Nutrição na Obesidade Materna
- O “coach” e a cartomante
- Por que não devemos comentar sobre o peso (ou corpo) das pessoas, mesmo quando...
- Como a atividade física previne o câncer?
- Balcão da cozinha e obesidade – existe alguma relação?
- O que é microbiota?
- Exercício ou dieta? Qual o melhor para emagrecer?
- “Tratamento” medicamentoso para perda de peso.
- Futura mamãe, quer ter mais saúde durante a gravidez? Exercite-se!
- Videogames ativos e saúde infanto-juvenil
- Transtornos Alimentares - o que são e o que fazer?
- Perda rápida de peso nos esportes de combate
- 5 mitos sobre emagrecimento para esquecer de uma vez por todas
- Transtornos alimentares: O que o profissional de Educação Física tem a ver com isso?
- Perda de peso corporal e metabolismo: sobre o estudo do "the biggest loser"
- Por que eu não devo fazer compras no mercado com fome?
- Por que a perda rápida de peso deve ser banida dos esportes de luta?
- Exercício e depressão
- Como emagrecer e ganhar massa muscular ao mesmo tempo?
- Por que envelhecemos? Como podemos combater o envelhecimento?
- Tudo que eu gosto é ilegal, é imoral ou engorda!!!!!!!!!!!!
- Placebo “injetável” melhora o desempenho esportivo.
- Termogênicos para emagrecer?
- Exercício físico (aeróbio): um forte aliado luta contra o câncer.
- Água alcalina faz bem para a saúde?
- Fisicamente Ativo vs Sedentário
- Misturar bebida alcoólica faz mal?
- Hipoglicemia durante o exercício - isso é possível?
- Por que sentimos câimbras?
- Glutamina melhora o sistema imune?
- Água emagrece? Sim, não ou talvez?
- Estou seguro! Estou tomando esteroides com acompanhamento de um especialista!
- Mudando paradigmas no “tratamento” da obesidade.
- 9 motivos para não usar esteroides anabolizantes
- Efeitos adversos dos suplementos nutricionais
- Perda de peso no MMA: estamos esperando uma tragédia?
- Gordura corporal: diga-me onde estás que te direi quem és..
- Não, géis "emagrecedores" não derretem a gordura, tampouco ela "sai no xixi"!
- O que Darwin diria sobre a obesidade.
- Leite: qual a real causa da intolerância?
- Suplementos como proteínas e creatina prejudicam a função renal?
- Creatina pode causar câncer?
- Fez lipoaspiração? Tem que treinar!
- Drenagem linfática emagrece?
- Pós-Graduação em Nutrição Esportiva - INSCRIÇÕES ABERTAS!
- Parada técnica para hidratação no futebol: necessidade fisiológica ou cuidado em excesso?
- A mais nova droga “anti-obesidade” e os mesmos velhos dilemas...
- Fugindo do sedentarismo no ambiente de trabalho
- Comer antes de dormir, crime por assalto à geladeira ou estratégia nutricional consciente?
- Os (muitos) problemas do IMC!
- Perder peso ou emagrecer?
- As hipóteses, os fatos e as “picuinhas metabólicas” na Nutrição Esportiva...
- O exercício e a vitamina D previnem queda em idosos?
- Tempo ativo ou tempo sedentário: o que é mais importante para a saúde?
- “Exercício é remédio” para a osteoartrite!!
- Estudo sugere que o uso de suplementos anabólicos pode causar câncer.
- Sobre a busca do corpo perfeito...
- Então a alimentação (e não o exercício) é a chave para combater a obesidade? Calma, muito cuidado nessa hora!
- Feliz Páscoa!!
- Ingestão de bebidas alcóolicas inibe o emagrecimento?
- Exercício em jejum “revisitado”– associar treinos em jejum à dieta hipocalórica emagrece mais?
- Ciência inForma comenta o caso Anderson Silva
- Exercício na obesidade: pensando “fora da caixa” (Parte 2)
- Projeto: "Saúde e Bem-Estar na Obesidade"
- Suplementos esportivos fazem mal à saúde?
- Lançamento do Livro: "A Dieta Ideal"
- Procedimentos estéticos como drenagem linfática, criolipólise e carboxiterapia emagrecem?
- Exercício na obesidade: pensando “fora da caixa” (Parte 1)
- Boas Festas e Férias!!!
- O placebo na nutrição esportiva
- Ciência Informa Responde: Para onde vai a gordura?
- Lipoaspiração e seus efeitos adversos...
- Ciência Informa Responde: perda de peso em Spas
- Obesidade metabolicamente saudável – isso existe? – Parte 2
- Obesidade metabolicamente saudável – isso existe?
- Curso USP: Suplementação Esportiva
- Quer emagrecer? Desligue a TV!
- Perder Peso ou Emagrecer?
- Sejam Bem Vindos!!!



Busca

Receba Atualizações

Envia sua sugestão de temas


Nossos Colaboradores

Prof. Bruno Gualano, PhD
Prof. Associado da Universidade de São Paulo

Profa. Desire Coelho, PhD
Nutricionista Clínica e Esportiva

Profa. Fabiana Benatti, PhD
Pós-Doutora na Universidade de São Paulo (USP)

Prof. Guilherme Artioli, PhD
Prof. Dr. da Universidade de São Paulo

Prof. Hamilton Roschel, PhD
Prof. Dr. da Universidade de São Paulo